Notícia

Escorpião é endêmico

sexta-feira, 22 de setembro de 2017
ESC0RPIÃO É ENDEMICO EM PATO BRANCO, E AS PESSOAS PRECISAM SE PRECAVER CONTRA O INSETO VENENOSO

A alerta é feito pelo professor da Universidade Tecnológica Federal de Pato Branco Fabiano Ostapiv. Ele capturou escorpiões marrons  no bairro La Salle, onde já houve inclusive incidentes com pessoas picadas, que felizmente tiveram acesso ao soro rapidamente e não tiveram o agravamento do quadro. As neurotoxinas do veneno do escorpião podem matar uma pessoa facilmente. São Mais de 75 mil acidentes por ano no Brasil, e as ocorrências com escorpiões já superaram as provocadas por cobras.

Em Pato Branco foram encontrados vários focos de escorpião em terrenos baldios, em vários bairros da cidade, como Vila Izabel, La Salle, Bortot, Brasília e até no centro da cidade. Segundo o professor Fabiano as altas temperaturas contribuem para a proliferação desses insetos. Segundo ele, não é recomendado usar inseticidas comuns, porque os escorpiões são imunes a maior deles. “O uso do veneno faz apenas com que eles saiam de seus esconderijos em busca de refúgio, e é exatamente neste momento que eles aparecem dentro das casas e provocam os acidentes”. O ideal para combater o inseto é manter os quintais limpos, e evitar o acúmulo de qualquer tipo de entulho. “Limpeza é a palavra de ordem para evitar a presença indesejável do bichinho”, destacou.

Inimigos naturais

Muita gente quando vê um sapo no quintal, dá logo um jeito de expulsá-lo, um erro que pode custar caro. O sapo é o principal predador do escorpião, ele é um dos elementos preferidos do cardápio. “O ideal seria a gente criar um sapo no quintal, porque seria uma forma de controlar a população não apenas de escorpiões, como de aranhas”. Além de terem poucos inimigos naturais nas cidades, e alimentos com fartura, eles comem baratas, os escorpiões se reproduzem em larga escala. Eles não põem ovos, como muita gente pode imaginar. São vivíparos e seus filhotes nascem por meio de parto, após uma gestação longadurante entre dois meses meio a três meses. Algumas espécies, inclusive T. Bahiensis, podem gerar mais de uma ninhada a partir do mesmo acasalamento, decorrendo vários meses entre dois partos consecutivos. Entre estes escorpiões, cada ninhada pode ter mais de 20 filhotes, mas outras espécies podem produzir até 90 ou mais filhotes, lembra o professor Fabiano.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa
 
Facebook Twitter Google Plus WhatsApp

ACEPB - Associação Empresarial de Pato Branco
Rua Xavantes, 315 - - Centro
85501-220 - Pato Branco - PR

(46) 3225-1237

Siga-nos

© 2016 ACEPB - Associação Empresarial de Pato Branco - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Grupo Mar Virtual